« Home | Verão tefeense – paraíso ou pára com isso? » | Um olhar Teu olhar tão puro Tão singelo Fez-me en... » | Esta poesia é uma dedicação especial à minha filho... » | TEMPO DE ELEIÇÃO O cenário político brasileiro f... » | ASAS DO ESQUECIMENTO Asas pretas que voam O mau c... » | Princesa do Solimões Num afluente do Rio Solimões... » | O NARCISISMO DE UM PENTA A copa do mundo é uma es... » | SACO QUE ENGORDA Puxa o saco, Mela mão Quanto ma... » | E o sonho se acabou Num caminho sem brilho sigo ... » | Um filho Zé Zé do talento Zé do humor Zé de Zé Do... » 

terça-feira, novembro 27, 2007 

Tefé, cultura, governantes e governados

Em meio ao sai não sai da Festa da Castanha, saiu o FESDANT. Para a Festa da Castanha, o prefeito alega falta de recurso, o governo argumenta que o município é que despreza o povo. Na encruzilhada da intriga dos poderes a única coisa que se sabe ao certo é que o mais prejudicado, claro, é o povo.
O presidente da Liga Independente de Tefé - LIDANT se queixou da falta de apoio do poder público municipal na realização do Festival da Danças Tribais de Tefé, o que pareceu tão evidente quanto ao oportunismo do presidente da câmara, vereador Roberval Celestino, “incentivando” a cultura tefeense. Há um ano das eleições municipais “valorizar” a cultura é semear consciência, consolidar valores e garantir votos também.
A Dança Guerreiros Amazônicos levou o título e se sagrou tricampeã. Mas quem levou o dinheiro foi a LIQUAT, Liga das Quadrilhas, quadrilha ou não, a verdade é que ela recebeu R$ 50.000,00 do governo do estado e fez uma apresentação pouco convincente.
Viva Tefé!!! A república das quadrilhas, dos enganados, dos esquecidos, abandonados e subestimados.

Novembro/2007.

Quem é Raifran?

  • I'm Raifran Brandão Araújo
  • From Zé Doca, Ma - Tefé/Am, Brazil
  • A internet é esse fantástico mundo sem fronteiras e me sinto no dever de fazer dela um elo de comunicação entre a sociedade e a informação. Denunciar, criticar, sugerir e tudo que possa valorizar a sociedade e o espaço democrático. “Não podemos deixar que os desmandos das oligarquias políticas continuem tirando dos ribeirinhos o sonho de serem cidadãos". É preciso criar uma ruptura cultural e este espaço valoriza isso”. Sou Idealista, poeta amador, diretor e fundador do Jornal Folha de Tefé, lançado em 25/08/2007 e O Solimões.
Meu Perfil
Powered by Blogger
and Marcelo Braga